THE RICE EXPERIENCE

let food be the medicine

Archive for the ‘Curiosidades’ Category

Os Ensinamentos de George Ohsawa

leave a comment »

A Macrobiótica não é uma medicina empírica desenvolvida por curiosos, nem tão pouco uma ciência mística que cura os sintomas das doenças. É sim, uma concepção dialéctica de como funciona o universo, que chamamos de Princípio Único, que nos ensina o caminho para a liberdade total e completa através da saúde.

A Macrobiótica é a arte de comer e beber com o objectivo de curar qualquer doença, seja ela passageira, crónica ou incurável. É o caminho para o desenvolvimento da inteligência e julgamento, com o objectivo de sentir que nascemos no centro da felicidade eterna.

Se uma pessoa não está feliz, significa que violou – consciente ou inconscientemente – as leis da natureza e a ordem do universo. Podemos compreender a doença e a infelicidade como os nossos guias – alarmes, sinais, e avisos – enviados para nos mostrar os nossos erros e o caminho de volta ao equilíbrio desequilibrado.

A medicina procura fórmulas e comprimidos que têm um efeito directo sobre os sintomas. De todas as terapias, acaba por ser a mais arcaica, mais utilizada, mais destrutiva de todas. Se suprimimos um alarme, um sinal de erro, ignorância, egoísmo, maus hábitos, como será possível termos paz, felicidade e vontade de viver?

Confrontado com a doença e a infelicidade, a consciência do homem moderno é hostil e sofredora. Quer destruir a doença com violência. Ao contrário de um macrobiótico, que a considera sua responsabilidade, perguntando o que fez para ficar doente. A causa da doença precisa de ser encontrada no comportamento da pessoa doente. Toda a felicidade e infelicidade resulta das nossas acções, que são guiadas pela nossa compreensão e julgamento. Esta é a razão pela qual, não devemos nunca atacar os sintomas. A origem da doença é a raiz do problema.

A Macrobiótica é uma filosofia educativa mais do que uma medicina curativa. Ensina-nos a aceitar a responsabilidade das nossas acções – a escolha da nossa comida e as possíveis consequências, resultado das nossas escolhas. A doença é uma prova da violação da ordem do universo. Cada indivíduo é responsável e criador da sua doença, simultaneamente, a sua vítima.

“Macro” significa grande, “biótica” significa vida. É a visão da vida, na verdadeira acepção da palavra.

A Macrobiótica é dirigida aos descontentes. Os que se sentem oprimidos pela vida, contra aqueles que lucram e exploram os mais fracos, económica, física e intelectualmente. É também dirigida aos verdadeiros génios que não se assumem como tal. Existem muitas pessoas que não cabem nestas categorias, porque são demasiado ricos, poderosos, inteligentes ou espirituais, os que naturalmente, são escravos dos bens materiais ou espirituais.

Texto  baseado no livro ‘7 Diet’, de Françoise Riviere 

Anúncios

Written by thericeexperience

Junho 1, 2010 at 10:54 am

Destruição Da Camada De Ozono

leave a comment »

A dieta Moderna, que tem por base o consumo excessivo de proteínas animais, obriga a que o planeta destrua florestas para fazer campos de criação de animais. As fezes desses animais libertam metano, responsável pela destruição da camada de ozono. Esta estratégia da destruição da terra está em curso à bastante tempo, havendo estratégias bem mais construtivas e de aplicação prática capazes da compensar o impacto do homem na terra. Se nos campos onde se produz gado fossem cultivados cereais integrais, a capacidade de gerar alimentos era muito maior e a destruição dos recursos do planeta menor. Desta forma, conseguiríamos mais alimentos a mais baixo custo, para mais pessoas.

Não temos noção da quantidade de água necessária para criar um bovino que alimenta meia dúzia de pessoas em relação ao cultivo de cereais que alimenta dez vezes mais, com menos quantidade de água. Se pensarmos nos milhões de animais que existem na terra, facilmente percebemos que temos uma grande responsabilidade quando vamos ao supermercado, só para comprar comida. Hoje em dia votamos com as nossas pequenas escolhas do dia a dia.

Gastamos 78 calorias de combustíveis fósseis para produzir uma caloria de bife. São necessárias 2 calorias de combustíveis fósseis para produzir 1 caloria de soja.

O aquecimento global é um problema de todos nós e de certeza que não foi em Copenhaga que se decidiu algo que adie o inevitável.

O planeta está protegido pela camada de ozono que se encontra no limite exterior da atmosfera e que funciona como um filtro para os raios solares protegendo o planeta terra.

Os raios solares são constituídos por raios ultravioletas yin e raios infravermelhos yang. O ozono é um gás muito yin constituído por 3 átomos de oxigénio. Duas forças iguais repelem-se, assim, a camada de Ozono yin repele os raios Ultravioleta yin, mas atrai os raios infravermelhos yang, deixando-os passar em direcção à terra. Os raios infravermelhos, são responsáveis por bronzearem a nossa pele. A dieta moderna e o estilo de vida actual estão a abrir buracos na camada de ozono.

Segundo a Newsweek, o problema está tão próximo do nosso ar condicionado, como do restaurante de fast food que temos aos nossos pés. Os dois libertam CFCs para a atmosfera. Estes químicos, depois de libertados, flutuam em direcção ao céu. Após percorrerem uma distância de 22,5 km encontram a camada de ozono, que tem 3 mm de espessura e protege a terra das radiações ultravioleta. O contacto promove a destruição desta camada.

Os raios ultravioletas enfraquecem e destroem o nosso sistema imunitário, dai a relação deste com o cancro. As células que entram em acção, quando o nosso sistema é atacado, são mais yang e especialmente vulneráveis. Ao mesmo tempo, os raios ultravioleta aceleram a produção de células mais yin que prejudicam o bom funcionamento do sistema e dificultam a sua capacidade de resposta. A destruição da camada de ozono, tornando o sistema imunitário frágil, aumenta risco de Cancro e Leucemia, especialmente se o individuo seguir a Dieta Moderna, que acelera mais este processo.

Se a dieta for baseada no elevado consumo de proteína animal, através de técnicas como grelhados, gratinados, fritos, etc., a temperatura do nosso corpo aumenta, tornando-nos menos toleráveis a temperaturas elevadas. Desta forma, para tentar compensar este desequilíbrio, aumentamos o consumo de ar condicionado, comidas frias, refrigerantes, açúcares, etc. Estamos constantemente a viver nos extremos da balança, incapazes de levar a vida de uma forma calma e sustentável. Se não houver sustentabilidade nas nossas casas ao nível das nossas escolhas alimentares, não haverá nas nossas relações, no nosso trabalho, na nossa vida familiar. Tudo parece complicado.

Texto ‘The Rice Experience’, baseado no livro ‘Contemporary Macrobiotics’ de Edward Esko

Imagem ‘The Rice Experience’

Written by thericeexperience

Maio 18, 2010 at 8:09 am

Publicado em Curiosidades, Ecologia