THE RICE EXPERIENCE

let food be the medicine

Archive for the ‘Personalidades’ Category

Conselhos Nutricionais do General Julius B. Richmond

leave a comment »

Em 1979 o pediatra, cirurgião, General, Julius B. Richmond, publicou um documento, intitulado Healthy People: The Surgeon General’s Report on Health Promotion and Disease Prevention. Neste documento, sugeriu que as doenças degenerativas podiam ser aliviadas e prevenidas através de uma dieta de cereais integrais, vegetais e fruta, reduzindo o consumo de carne, ovos, produtos lácteos, açúcar e outros produtos processados.

O relatório afirmava: “O exagerado consumo de colesterol e gorduras saturadas, provenientes da proteína animal, estão associados a problemas de coração e arteriosclerose”; “Estudos feitos em animais, provam que a redução de alimentos ricos em colesterol, revertem o processo da arteriosclerose”; “Estudos científicos feitos em países onde as dietas são fracas em gorduras saturadas e colesterol, demonstraram baixa incidência de ataques de coração e baixa taxa de colesterol; e que os americanos que seguem uma dieta vegetariana têm menos ataques de coração do que o resto da população.

O relatório concluiu que era impossível definir as necessidades nutritivas standard para cada individuo, devido ás diferentes condições de saúde de cada pessoa, mas que no geral cada Americano tinha a possibilidade de ter uma vida mais saudável, se consumisse: as calorias necessárias á sua constituição; menos sal; menos açúcar; mais hidratos de carbono complexos, como os cereais integrais; mais peixe, galinha, legumes; menos carnes vermelhas.

O General avisou sobre o perigo da comida processada. “A rede Americana de alimentos mudou tanto, que metade dos alimentos que consumimos são processados, em vez de alimentos frescos provenientes da agricultura….Precisamos de nos manter alerta sobre a qualidade nutricional da comida processada.”

 Baseado no livro “Let Food Be Thy Medicine” de Alex Jack

Written by thericeexperience

Junho 16, 2012 at 10:04 am

Publicado em Personalidades

Christoph Wilhelm Hufeland Receitava Alimentos Naturais

leave a comment »

Filosofo, professor de medicina e médico que viveu no séc XVIII. Tratou de personalidades como Johann Wolfgang von Goethe. Recomendava uma dieta à base de cereais e vegetais, com boa mastigação. Conhecedor em pleno dos riscos para a saúde da carne e açúcar, defensor da amamentação de crianças com leite materno, exercício físico e cura das doenças pelo próprio doente.

Escreveu no seu livro Macrobiotics, or the Art of Prolonging Life, “Quanto mais o Homem respeitar as obedientes leis da natureza, mais tempo vive; quanto mais se afastar do cumprimento das leis da natureza, mais curta a sua existência.”

“O poder curativo da natureza, deve, acima de tudo, ser respeitado e promovido, porque é o único principio em que nos podemos apoiar para tratar eficazmente as doenças que nos afligem. Pode ser conseguido através da não acomodação do nosso corpo, face a tratamentos externos. Nesses casos, a natureza vai ser utilizada mas dependendo de ajuda externa, que com o tempo, acaba por perder o seu poder de assistência eficaz.”

No que respeita a dietas ele concluiu que “a comida dos ricos e com mais nutrientes, através de uma alimentação excessiva de carne, não prolonga a vida. As pessoas que atingiram idades avançadas, sempre foram regradas na sua alimentação, baseada em vegetais e pouca ou nenhuma carne.”

No que respeita ao estilo de vida “o grau civilizacional, em relação ao luxo, requinte e desvios da natureza, que tanto gostamos de enaltecer, ao vivê-lo de uma forma tão intensa, tende a encurtar na mesma proporção a nossa existência.”

Texto ‘The Rice Experience’, baseado no livro ‘Macrobiotics or the Art of Prolonging Life’, de C.W. Hufeland, M.D.,

Written by thericeexperience

Outubro 18, 2010 at 10:05 pm

Os Ensinamentos de George Ohsawa

leave a comment »

A Macrobiótica não é uma medicina empírica desenvolvida por curiosos, nem tão pouco uma ciência mística que cura os sintomas das doenças. É sim, uma concepção dialéctica de como funciona o universo, que chamamos de Princípio Único, que nos ensina o caminho para a liberdade total e completa através da saúde.

A Macrobiótica é a arte de comer e beber com o objectivo de curar qualquer doença, seja ela passageira, crónica ou incurável. É o caminho para o desenvolvimento da inteligência e julgamento, com o objectivo de sentir que nascemos no centro da felicidade eterna.

Se uma pessoa não está feliz, significa que violou – consciente ou inconscientemente – as leis da natureza e a ordem do universo. Podemos compreender a doença e a infelicidade como os nossos guias – alarmes, sinais, e avisos – enviados para nos mostrar os nossos erros e o caminho de volta ao equilíbrio desequilibrado.

A medicina procura fórmulas e comprimidos que têm um efeito directo sobre os sintomas. De todas as terapias, acaba por ser a mais arcaica, mais utilizada, mais destrutiva de todas. Se suprimimos um alarme, um sinal de erro, ignorância, egoísmo, maus hábitos, como será possível termos paz, felicidade e vontade de viver?

Confrontado com a doença e a infelicidade, a consciência do homem moderno é hostil e sofredora. Quer destruir a doença com violência. Ao contrário de um macrobiótico, que a considera sua responsabilidade, perguntando o que fez para ficar doente. A causa da doença precisa de ser encontrada no comportamento da pessoa doente. Toda a felicidade e infelicidade resulta das nossas acções, que são guiadas pela nossa compreensão e julgamento. Esta é a razão pela qual, não devemos nunca atacar os sintomas. A origem da doença é a raiz do problema.

A Macrobiótica é uma filosofia educativa mais do que uma medicina curativa. Ensina-nos a aceitar a responsabilidade das nossas acções – a escolha da nossa comida e as possíveis consequências, resultado das nossas escolhas. A doença é uma prova da violação da ordem do universo. Cada indivíduo é responsável e criador da sua doença, simultaneamente, a sua vítima.

“Macro” significa grande, “biótica” significa vida. É a visão da vida, na verdadeira acepção da palavra.

A Macrobiótica é dirigida aos descontentes. Os que se sentem oprimidos pela vida, contra aqueles que lucram e exploram os mais fracos, económica, física e intelectualmente. É também dirigida aos verdadeiros génios que não se assumem como tal. Existem muitas pessoas que não cabem nestas categorias, porque são demasiado ricos, poderosos, inteligentes ou espirituais, os que naturalmente, são escravos dos bens materiais ou espirituais.

Texto  baseado no livro ‘7 Diet’, de Françoise Riviere 

Written by thericeexperience

Junho 1, 2010 at 10:54 am