THE RICE EXPERIENCE

let food be the medicine

Archive for the ‘Orgãos’ Category

Respeita o teu Figado

leave a comment »

freeUma dieta desequilibrada, a exposição a um meio ambiente tóxico, o stress e pensamentos negativos prejudicam a nossa flutuação natural. Com a passagem do tempo, as toxinas começam-se a acumular-se, violando a harmonia do nosso ecossistema. Se o nosso consumo de toxinas exceder a capacidade do nosso fígado em eliminá-las, mais tarde essas toxinas reaparecem sendo depositadas nos tecidos, nas articulações e na pele. A nossa competência para lidar com estas toxinas determina o estado do nosso bem-estar físico e psicológico.

Tudo o que comemos que nos faz menos bem, tem de ser digerido, assimilado e eliminado. Esta é a função do fígado: quebrar todo o tipo de toxinas que não são necessárias, toxinas que são reduzidas a pequenas moléculas e que são expelidas através do cólon.

Se o nosso sangue e tecidos estão constantemente numa condição ácida, a vesícula biliar acusa a falta de minerais alcalinos tornando as enzimas do pâncreas desactivadas. Neste caso, o funcionamento do nosso aparelho digestivo fica comprometido, provocando uma má assimilação de vitaminas, de minerais e de outros nutrientes essenciais. Sem os nutrientes adequados e as vitaminas importantes, os outros processos metabólicos tornam-se ineficientes, ajudando na acumulação de toxinas. Isto leva a problemas físicos como: depressão, ansiedade, preocupação, dores e sentimentos de infelicidade, sinal de que estamos de sintonizados com o interior e exterior do nosso organismo. O nosso sistema de comunicação entra em colapso.

Baseado num artigo do site http://www.naturalhealinghouse.com

Anúncios

Written by thericeexperience

Fevereiro 25, 2014 at 2:51 pm

Publicado em Orgãos

A Função Dos Rins

leave a comment »

Os rins não são muito grandes, são do tamanho das nossas orelhas, mas o seu interior está cheio de centenas de pequenos poros que limpam o sangue de toxinas e desperdícios. A sua função consiste em filtrar o sangue convertendo os desperdícios em urina. Todos os líquidos úteis, hormonas, etc., voltam à corrente sanguínea. Todos os dias passam pelos rins 100 litros de líquidos, sendo eliminados 1.5 litros, o restante volta à corrente sanguínea.

Se consumirmos grande quantidade de produtos que promovam desperdício – como a carne – os rins não conseguem filtrar eficazmente as toxinas, resultando numa impossibilidade de serem eliminadas, voltando à corrente sanguínea. Uma alimentação baseada no consumo diário de carne provoca a contracção dos rins, sobrecarregando-os com matéria gorda inútil. Esta condição força o coração a bater mais forte, elevando a pressão sanguínea com o objectivo de socorrer os rins através da condução de líquidos do corpo.

Por cima dos rins estão localizadas as glândulas adrenais, as quais, segundo a medicina oriental, controlam as funções sexuais. Os rins governam os órgãos sexuais, estando neles a origem física de todos os problemas sexuais. A potencia sexual é determinada pelo estado de saúde dos rins.

Também afectam a condição dos ossos. Uma dieta rica em gorduras animais escurece os ossos, devido à desmineralização. Os problemas de pele também estão relacionados com os rins.  A eliminação de toxinas do corpo, é feita grande parte pelos rins através da urina, e da pele através da transpiração. O suor e a urina são muito similares na sua composição. Um problema de pele resulta da incapacidade dos rins em filtrar toxinas eficazmente, levando a que estas sejam eliminadas através da transpiração.

Grande parte da população sofre de problemas de rins devido ao excessivo consumo de carne. Este consumo provoca a yanguização ou contracção dos rins e consequente aumento da pressão arterial, resultando em problemas de coração, colesterol, problemas de pele, problemas de ouvidos, etc. O sintoma mais comum de problemas de rins aparecem nos pés, através de erupções cutâneas ou dores na planta, papos nos olhos, dores nas pernas por baixo do rabo, tom da pele amarelado, suores nas mãos, problemas de pele no corpo, etc.

O problema dos rins está directamente relacionado com desequilíbrios alimentares. Por um lado consumimos proteínas animais diariamente de uma forma desregrada, provocando stress e contracção dos rins. De seguida sentimos uma vontade anormal de beber líquidos, que não é mais do que uma tentativa de correcção do primeiro problema. Esta sobrecarga de líquidos origina, um novo esforço dos rins, um novo problema. Se os rins, numa condição de dieta equilibrada, filtram 100 litros de líquidos por dia, imaginem o que filtra com uma dieta desequilibrada.>

Texto ‘The Rice Experience’, baseado no livro ‘Healing ourselves’, de Naboru Muramoto

Written by thericeexperience

Outubro 27, 2010 at 9:17 pm

Publicado em Orgãos

A Importancia Da Renovação E Qualidade Do Sangue

with 2 comments

De acordo com os biólogos, a mudança completa dos glóbulos vermelhos demora 120 dias. Passados 12 dias o sangue muda em cerca de 12%, fazendo com que o sintoma da doença desapareça ou diminua. Por outras palavras, demora 120 dias a purificar o sangue e cerca de 12 dias de uma dieta equilibrada, sem comida processada, açucares, proteínas animais, sem excesso de líquidos, sem comer em demasia, para que os sintomas cessem ou para que fiquemos livres de perigo.

Demora cerca de 3 anos a reconstruir as fibras dos músculos e órgãos, mas demora cerca de 7 anos a mudar a constituição do corpo. A velocidade destas mudanças depende da pessoa e da velocidade do seu metabolismo. Uma criança tem a capacidade de cura muito maior, porque a circulação e metabolismo estão no seu potencial máximo. Os idosos, por sofrerem normalmente de estagnação sanguínea, têm dificuldade em renovar a células. Esta é a razão pela qual os idosos necessitam de dormir bem tapados, devido á sensibilidade ao frio, em contraste com a capacidade que as crianças têm em usar pouca roupa no inverno.

Todos os dias o nosso sangue é renovado enquanto o sangue velho é destruído. As toxinas são libertadas através dos rins e pele. Os componentes úteis das toxinas e do sangue velho são retidos na vesícula e utilizados posteriormente.

Ainda se mantém desconhecido a quantidade de sangue produzido. O intestino delgado, o órgão final no processo digestivo, começa a produção de sangue, mas o processo de criação do glóbulo fica incompleto, visto ser impossível ser produzido só por um órgão. Do intestino o sangue incompleto viaja em direcção ao fígado, coração, pulmões e pâncreas. O fígado, responsável pela bílis e o pâncreas responsável pela finalização do processo podem ser responsáveis pela destruição do sangue velho.

Será que o mau sangue é sempre descarregado? Se seguir uma dieta equilibrada tendo por base cereais, vegetais e leguminosas, de certeza que é eliminado, ficando apenas o sangue novo saudável.

Todas as pessoas têm a capacidade para renovar o sangue, dependendo apenas da vontade em mudar hábitos alimentares errados e perpetuados durante décadas. Para a criação de sangue de qualidade precisamos de abdicar: do açúcar; dos refrigerantes; da proteína animal; da comida embalada processada; etc. Devemos integrar na dieta vegetais de folha verde, como o agrião ou nabiça, que activam o sangue, afectando o metabolismo do corpo, invertendo o processo de estagnação.

Os animais consomem plantas para formar sangue, ossos e pele. Se consumirmos carne formamos sangue rapidamente, mas de inferior qualidade e duração muito limitada. Plantas → sangue → carne é o processo natural. Se escolhermos comida da ultima fase estamos a inverter o processo natural de produção sangue. Estes afastamentos das leis da natureza são a causa das doenças da humanidade, devido á alteração de ciclos naturais. Para evitar uma vida de doença,  vitimização, culpabilização externa, aconselhamos a  mudar o interior, tudo começa na boca.

Texto ‘The Rice Experience’, baseado em ‘Healing ourselves’, de Naboru Muramoto

Written by thericeexperience

Setembro 30, 2010 at 11:20 pm

Publicado em Orgãos

O sistema Ortossimpático e Parassimpático

with one comment

‘A liberdade não existe; as nossas acções têm apenas causas físicas’, dizem os materialistas. Eles defendem esta posição, porque toda a actividade física é dependente de factores químicos e orgânicos que intervêm nos neurónios.

Conseguimos citar vários exemplos que provam que a liberdade é limitada e que a nossa acção individual é executada pelos neurónios sensoriais, que reagem aos factores que nascem no nosso organismo. Podemos dizer que somos fantoches animados pelo nosso sistema nervoso, o nosso comportamento depende da predominância do sistema orto ou parassimpático no sistema nervoso. Desta forma, não somos de forma alguma seres autónomos. Esta é a origem da negação da vida, do fatalismo e do determinismo.

O sistema ortossimpático assegura o desenvolvimento e expansão dos tecidos e órgãos do nosso corpo, é o veículo da força centrifuga, energia Yin. O sistema parassimpático assegura a função de retenção; é um componente que assegura o balanço e faz compensações, é o veículo da força centrípeta, energia Yang. O nosso corpo e estado de espírito estão sobre a influência destas duas forças.

O excesso de alimentos Yin leva a que o sistema ortossimpático predomine levando a um comportamento mais determinado e compreendedor da vida. Um excesso de alimentos Yang faz com que o sistema parassimpático predomine, causando um estilo diferente de comportamento e compreensão. A nossa existência depende deste equilíbrio entre o Yin Yang.

Se, compreendermos como este equilíbrio é atingido com a comida do dia a dia, tornamo-nos os nossos mestres. Conseguimos mudar o nosso comportamento e mentalidade, sempre que desejarmos. Temos as chaves para a nossa infinita liberdade. Este método é simples, barato e justo, qualquer pessoa pode adoptá-lo, em qualquer altura e em qualquer lugar. A única condição necessária é tomarmos a simples decisão de que nos conseguimos curar, para sermos livres e felizes, reconhecendo o Yin Yang nas nossas dietas.

Texto ‘The Rice Experience’, baseado no livro ‘7 diet’, de Françoise Riviere

Written by thericeexperience

Agosto 16, 2010 at 3:00 pm

Publicado em Orgãos

Beber Muitos Líquidos, Provoca Problemas Renais

leave a comment »

Beber é um dos nossos maiores desejos.

A necessidade de ingerir líquidos é maior do que a necessidade de ingerir comida. Devido à abundância de água barata, não nos apercebemos deste facto. O corpo humano é constituído por 75% de água, e por essa razão consideramo-la um elemento muito importante para a nossa saúde. Porque é que a água é tão importante?

Primeiro, a água dissolve elementos químicos e nutrientes, permitindo que interajam num processo de ionização. Segundo, a água é a base de transporte dos canais do nosso corpo. O sangue e o sistema linfático transportam e entregam ‘comida’ e oxigénio ás células e transportam os fluidos desperdiçados e removidos do nosso corpo. Sem água o corpo não conseguia manter-se e desenvolver-se.

A água é a base da vida no planeta. De qualquer forma, a visão da Macrobiótica em relação ao consumo de líquidos difere da opinião da maior parte dos profissionais da saúde.

A medicina ocidental aconselha beber em quantidade, baseado na teoria de que a água irá escoar as toxinas do corpo. O conselho de beber grandes quantidades de líquidos poderá servir para as pessoas que consumam grandes quantidades de proteína animal, já que esta provoca uma maior coagulação do sangue, tornando-o menos líquido, o que dificulta a limpeza das toxinas. Ao tornar o sangue mais líquido, a água pode ajudar à libertação das toxinas resultantes do metabolismo das gorduras animais, sob a forma de energia. No entanto, este método de limpeza é ineficiente de pesado para o corpo.

A Macrobiótica recomenda a ingestão de líquidos segundo a condição e necessidade da pessoa, porque se se ingerem demasiados líquidos o sangue fica mais fino e diluído, e mais sangue tem de circular para a entrega da mesma quantidade de nutrientes às células. Significa trabalho adicional para o coração e rins, e a possibilidade da entrega insuficiente de nutrientes às células. Aqueles que não consomem grandes quantidades de gordura e proteínas animais, mas sim, hidratos de carbono complexos, promovem uma energia mais limpa e consequentemente necessitam de menos líquidos, até porque os cereais e vegetais são constituídos por água, o que torna desnecessário consumi-la em demasia.

Devemos ingerir líquidos de acordo com a nossa constituição e nível de actividade.

Texto ‘The Rice Experience’, baseado no livro ‘Basic Macrobiotics’, de Herman Aihara 

Written by thericeexperience

Agosto 4, 2010 at 8:31 pm

Publicado em Orgãos