THE RICE EXPERIENCE

let food be the medicine

Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Fermentações Naturais

leave a comment »

Os probióticos são microorganismos benéficos, presentes em certos alimentos, bebidas ou suplementos dietéticos, que criam a possibilidade de rejuvenescer e criar a existência de microbiota no sistema gastrointestinal e gênito-urinário, e por todo o corpo.

O conhecimento ancestral dietético da nutrição popular e mesmo fontes da microbiologia, são bastantes limitadas, em termos de produtos probióticos. Na internet é comum encontrarmos referencia apenas ao yogurt, kefir, sauerkraut e kimchi como alimentos probióticos.

É normal assistirmos a uma negligência dos alimentos probióticos tradicionais que contêm a maior quantidade de micro organismos benéficos. A macrobiótica inclui os mais saudáveis, antigos, e os mais viáveis probióticos usados pelas culturas tradicionais mundiais cultivadas e fermentadas durante milhares de anos.

No topo da lista encontramos os produtos de soja fermentados: miso, molho de soja, tempeh, natto e tamari. O feijão natto não é fermentado mas possui a microflora benéfica a crescer dentro. Podemos incluir também os pickles naturais feitos com sal marinho e pressão (sem vinagre, açúcar, preservativos, aditivos, cozidos a altas temperaturas). As panquecas, crepes e pão de frigideira, quando sujeitos a fermentação, devem ter maior quantidade de micobiota vital.

O kimchi comercial não é um bom probiótico. Devido aos químicos, aditivos, preservativos, açúcar e fortes especiarias, provocam problemas digestivos. Os produtos lácteos com propriedades probióticas, podem provocar distúrbios digestivos e metabólicos, devido ao excesso e desequilíbrios provocados por: moléculas proteicas, cálcio, açucares do leite, quantidades excessivas de vitamina D artificial enriquecidas, calorias excessivas, provocando um desequilíbrio bio-químico.

A cozinha macrobiótica, normalmente tem um utensílio para fazer pickles, onde se encontra sauerkraut em processo de fermentação. Depois de alguns dias, quando os vegetais estiverem suficientemente fermentados, são refrigerados em frascos de vidros. Á medida que a fermentação vai libertando liquido, pressiona-se gradualmente os vegetais, fazendo-o também antes de os servir. O liquido é excessivamente salgado para ser bebido.

As produções caseiras de pickles vegetais/cereais, são de extrema importância. O hábito de usar a cozinha como um laboratório de experiencias, fortalece laços familiares e cria vida. A fermentação de cereais integrais ou de farelo proveniente de cereais integrais, é possivelmente a  mais rica de todas as fermentações. Os cereais criam um ambiente perfeito para a proliferação da microflora, onde os cereais fermentam.

Traduzido de um texto de John Harmon

Nota do tradutor e editor do blogue Nuno Pereira: Pela minha experiencia, os materiais com os quais são feitas as casas onde se cria este tipo de vida, podem ser decisivas no sucesso das fermentações. As casas de cimento, devido aos bloqueios energéticos, não proporcionam um bom habitat para a existência das bactérias que ajudam no processo de fermentação….

 

Anúncios

Written by thericeexperience

Setembro 23, 2019 at 12:53 pm

Publicado em Uncategorized

Porque Te Deixas Influenciar Por Pessoas Negativas

leave a comment »

P – Eu gostava de falar sobre o tema, tudo é fundamentalmente neutro.
B – Sim.
P – Em termos de manipulação, se eu sinto que alguém está a ter uma abordagem energética manipulativa comigo.
B – Sim.
P – Não é possível que a energia dessa pessoa seja negativa?
B – Mas porque é que tens de aceitar?
P – Boa pergunta.
B – Consegues perceber que a única razão pelo qual tu vives negatividade na tua realidade – não que não reconheças negatividade na realidade deles – mas a única razão pelo qual tu poderás senti-la na tua realidade é porque a aceitas e a crias na tua realidade, acreditando na realidade deles tornando a na tua realidade.
Tu aceitas a oferta. Mais uma vez, é uma boa oportunidade para tu reconheceres que se te estão a oferecer negatividade, senão preferes, então a oferta deles de negatividade permitiu-te alinhar com aquilo que é verdade para ti, e com aquilo que tu sabes que não é verdade para ti. Então podes sempre dizer: “eu agradeço a tua oferta de negatividade mas nada tem a ver com a minha realidade, muito obrigado mas eu vou seguir o meu caminho.”
P – Sim, eu quero, mas o meu problema é…
B – Problema?
P – Sim mas parece que a minha opinião não tem valor, aquilo que tenho para dizer não parece ser poderoso. Eu sinto que…
B- então estás apenas a julgar que não é. O teu problema é simplesmente o facto de julgares seres inferior. Porquê?
P – Boa pergunta (risos)
B – Oh, agradecido! (Risos)
P – As minhas emoções surgem de uma forma tão forte que eu sinto-me intimidado.
B – Sim mas apenas aparece para tu reconheceres que tu tens uma crença que tu não és tão poderoso. Senão gostas dessa experiencia então permite-te reconhecer que eles te estão a mostrar que podes acreditar noutra coisa.
Percebes que a ideia de te oferecerem essas experiencias negativas não é necessariamente, e não tem que ser reconhecido como uma indicação que tu não tens poder. Mas sim, elas surgem para te mostrar que se acreditas que não tens poder e se ainda por cima não preferes, então podes escolher acreditar que tu és igualmente poderoso.
P – Não sei se confio nisso.
B – Porque não?
P – Não sei.
B- Posso fazer-te uma pergunta?
P – Sim claro.
B – Agradecido. Tu existes?
P – Sim
B – Tens a certeza?
P – Sim (risos).
B – Ok. Tens de fazer alguma coisa especial para existires?
P  – Não.
B – Então porque assumes que tens de fazer alguma coisa especial para continuares a existir?
P – ……..
B – Tu foste criado pelo amor incondicional. Tudo o que é criou-te. E tudo o que é, obviamente achou que merecias existir. O que poderá ser mais importante do que isso? Porque não te dás o mesmo respeito que tudo o que é deu-te quando te criou? E porque não assumes ao menos de uma forma obvia, que és igual a qualquer outra criação. Senão tu nem sequer tinhas sido criado. Então?
P – Eu consigo perceber.
B – Consegues?
P – Sim mas tendo a esquecer.
B – ok.
P – Eu esqueço-me e por vezes sinto uma luta entre eu e eles.
B- Sim mas se calhar até gostas?
P – Não gosto nada.
B – Então não o faças.
P – Vem no seguimento do que falaste sobre obstáculos e sobre tentar dar a volta. Parece melhor usar esta nova ferramenta que me permite atravessar o problema.
B – Sim claro. Então permite-te reconhecer que ao incorporares essa nova ferramenta, tu és um novo tu. E todos estes cenários que descreves são sobre um tu que já não existe. Então porque trazê-lo para dar força ao teu novo eu? eles já não têm nada a haver contigo. Percebes?
P – Sim.
B – Reconhece que na tua sociedade, este tipo de situações acontecem constantemente, é apenas uma nova noção que te permite seres aquilo que preferes em detrimento daquilo que não preferes, mas sem te aperceberes que tu és o teu novo eu.
O que é que aquilo que tu eras tem a ver com aquilo que és? Nada. Só se quiseres acreditar que sim, tu és responsável por essa escolha. É apenas o facto de escolheres acreditar que te permite viver a ilusão que vai acontecer dessa forma. O presente não é um resultado do passado. Só tu, na tua realidade, acreditas acreditar que existe uma continuidade.
P – mmmmmmm.
B – pensa sobre isso.

 

Traduzido de uma conversa do channeling bashar

Written by thericeexperience

Maio 4, 2019 at 3:28 pm

Publicado em Uncategorized

Cooked

leave a comment »

1_rg-SvatibOZBeJSgTg5jaQ

Hoje em dia, cozinhar é opcional.

Não é um dado adquirido que vamos cozinhar, mas ao longo da Humanidade, cozinhar era uma necessidade para se comer. Culturas que se mantinham fiéis à sua forma de comer, têm agora dificuldade em passar tempo na cozinha. Como é que chegámos a este ponto? E o que perdemos nesse processo?

Este é um assunto mais importante do que muitos de nós pensam, e nesta incrível série de Michael Pollan, reencontramos a cozinha e o seu valor, o que significa para nós enquanto cultura e a importância que tem no contexto da família, nos hábitos sociais e na saúde.

Convido-vos a entrar nesta viagem de 4 episódios, cada um dedicado a um elemento – Fogo, Água, Ar e Terra.

Trailer https://www.youtube.com/watch?v=epMAq5WYJk4

Written by thericeexperience

Abril 27, 2019 at 10:11 am

Publicado em Uncategorized

Transformar o Stress em Equilíbrio

leave a comment »

Como gerir o stress?

O fundamento mais básico, essencial e crucial para gerir o stress, é a lembrança ou a capacidade de se lembrar. Tu tens escolha. A escolha dá-te o poder de transformar. A escolha dá-te o poder de mudar. A escolha dá-te o poder de criares a vida que queres viver. Nunca te esqueças disso. Sugiro que te lembres todas as manhãs quando acordares e todas as noites quando te deitares.

O primeiro passo para iniciares uma estratégia de gestão de stress é estabilizares psicologicamente. É absolutamente necessário estabilizares psicologicamente, mas não é suficiente. Senão conseguires estabilizares psicologicamente, vai ser difícil gerires o stress. Tu vais continuar preocupado com os desequilíbrios da tua condição psicológica, criando mais stress. E mesmo que consigas estabilizares as tuas emoções, não é suficiente. Mais passos puderam ser necessários.

Estabiliza as tuas emoções:

Dá prioridade a uma alimentação baseada em plantas e cereais integrais (alguns alimentos de origem animal podem ser necessários) como uma dieta que respeite alguns princípios da Macrobiótica.

 – Inclue pró-bióticos – alimentos fermentados – miso, pickles, sauerkraut

 – Reduz/elimina açúcar refinado ou hidratos de carbono refinados (ex: massas não integrais)

 – Reduz/elimina todos os produtos processados e refinados

 – Reduz/elimina a cafeína

 – Reduz/elimina o álcool

 – Reduz/elimina alimentos duros, secos, estaladiços e salgados

 – Tem cuidado com o excesso de sal de qualquer tipo – aumenta o cortisol

 – Pratica desporto de uma forma regular, modesta e apropriada – Uma aeróbica leve combinada com exercício que promova o alongamento do corpo (yoga, taichi, chicong)

 – Descansa o suficiente

 – Aprende a te nutrires, a perdoar, sê gentil e generoso para contigo para manteres as emoções equilibradas

Passo a Passo – Transformação do Stress

1 – Aprende a reconheceres o stress antes que fique fora de controle. Lembra-te de como te sentes quando estás em stress.

2 – Depois de o reconheceres, lembra-te que podes escolher á forma como o interpretas/relacionas com o stress, desta forma…

3 – Stop/Pára, intervém na tua experiencia de stress..

4 – Através de uma única inspiração consciente (não tem de ser uma inspiração profunda), fazes uma pausa para…

5 – Reflectir, de forma a poderes trazer…

6 – Mindfullness á tua experiencia de stress, e depois tu podes…

7 – Ver claramente a escolha que estás prestes escolher, para poderes escolher outra, e depois…

8 – O stress vai desaparecer.

Traduzido de um texto de Macrotoday

 

Written by thericeexperience

Outubro 22, 2017 at 1:37 pm

Publicado em Consciencia, Uncategorized

George Oshawa O Mestre Da Alimentação Saudável

leave a comment »

ohshawa2O Sr. Ohsawa e muitas das pessoas que abraçaram a Macrobiótica, viram a Macrobiótica como uma forma de tornar o mundo mais pacifico. Este facto não corresponde com o conteúdo do seu discurso. Será que a paz no mundo faz parte da sua visão da Macrobiótica?

Herman Aihara: Nessa altura ninguém estava preocupado em mudar a dieta. As pessoas estavam interessadas na paz. Existiam milhares de movimentos pacífistas mas a Macrobiótica era a única que dava prioridade á dieta. Os movimentos pacífistas acabaram por trazer muitas pessoas á dieta.

Se disseres na rua que a Macrobiótica é sobre dieta, ninguém se interessa em mudar. Se falares no mundo cheio de paz, então é possível que haja interesse. Podes considerar este método, o método do isco. O Ohsawa usava muito isco: Para os jovens isco de um tipo; para os mais velhos isco de outro tipo. Esta é a razão pela qual os seus livros são tão diferentes, mas sempre com o mesmo fim – dieta Macrobiótica. O princípio do livro era sempre o isco.

Então porque Ohsawa estava tão focado em espalhar a dieta Macrobiótica? Porque é que ele queria que as pessoas usassem a dieta?

 Herman Aihara: Ohsawa descobriu que a dieta está intimamente ligada ás bases da vida saudável. A dieta muda feitios, caracteres, pensamentos, condição física e doenças. Todos dependem da dieta.

Eu concordo. Para mim é verdade. Ele descobriu o quanto a dieta é importante, mas porque estava ele tão interessado em lançar o isco a todas estas pessoas? Qual era o seu objectivo pessoal?

Herman Aihara: porque as pessoas estavam infelizes, e para serem felizes precisavam de mudar a dieta. Nessa altura no Japão não existia comida suficiente. Ninguém se importava com a dieta. Estavam mais interessados nos governos mundiais.

Antes, ele estava envolvido nos movimentos pacífistas contra o governo, mas não se podia manifestar porque as autoridades apareciam. Ele foi várias vezes capturado pela polícia militar. Desta forma conseguiu fazer amigos entre altos dignitários e generais. Ele curou muitos generais. Ele frequentava casas nobres e tornou-se amigo dessas pessoas, dai ter conseguido protecção. Ohsawa era muito esperto. Quando estava contra a guerra, ele sabia como ter protecção. Ás vezes era mesmo muito esperto, mas essa esperteza não conseguiu parar a sua vontade própria.

Ele tentou atravessar a Sibéria de cavalo para acabar com a guerra. As pessoas pensavam, “Como é possível ele atravessar a Sibéria montado a cavalo?” Nessa altura tinha 50 anos. Esta é a razão pela qual o Tomio Kikuchi no Brasil ainda imita Ohsawa, fazendo amigos com pessoas do governo, falando-lhes da dieta Macrobiótica.

Ohsawa dizia-nos que os políticos nunca faziam a dieta Macrobiótica. Existiram alguns deles que se curaram, mas eles não ensinam as crianças nem os amigos. Ele explicava a muitos generais e pessoas da marinha e ao próprio primo do Hirohito. Vocês podem-se se curar, mas senão ensinarem pelo menos uma geração, então não perceberam o poder da dieta.

Traduzido de uma entrevista a Herman Aihara publicado na Macrotoday

 

 

 

 

Written by thericeexperience

Janeiro 24, 2017 at 4:31 pm

Publicado em Uncategorized

Consciência Alimentar: Combinações alimentares

leave a comment »

fa1-ep3-04.jpgO 3º episódio do Projecto Consciência Alimentar, na Quinta do Vale da Lama, abordou o tema ‘Combinações alimentares’ e trouxe como exemplo prático o plano de combinações alimentares de Paul Pitchford, que propõe refeições simples para aqueles que pretendem uma digestão plena e enzimática.

Na cozinha preparou-se uma refeição simples onde foram privilegiadas várias combinações com efeitos particulares na assimilação de nutrientes. À hora da refeição cada um compôs o seu prato para testemunhar os resultados na digestão e bem-estar.

Aqui encontram o capítulo dedicado a este tema, do livro ‘Healing with whole foods’ da autoria de Paul Pitchford.

Para leres mais sobre o 3º episódio, entra aqui.

Texto ‘The Rice Experience’; Imagens: Xana Piteira (Vale da Lama)

 

 

Written by thericeexperience

Julho 7, 2016 at 6:03 pm

CONSCIÊNCIA ALIMENTAR.

leave a comment »

20160525_132358

Um projecto cuja fase embrionária foi desenvolvida ainda durante o período em que no Lama Village se vivia a experiência e o sonho de crescer uma comunidade assente em éticas e práticas de base ecológica, comunitária e consciente.

Com a Dieta Mediterrânica como base de referência, este projecto faz agora parte do programa mensal daqueles que trabalham, colaboram e são voluntários nas diferentes esferas do Vale da Lama. Tal como escreve a Ana no primeiro artigo sobre o projecto, ‘Entre conversas e receitas surge da horta ao prato o Projecto Consciência Alimentar que promete tornar-se um acontecimento regular para a equipa do Vale da Lama.’

O projecto arrancou com um primeiro almoço focado na ‘Sensibilização para a Dieta Mediterrânica’, e focou o seu 2ºepisódio sobre o tema ‘Alimento Cru e vivo. Nutrição e digestão‘. Tive o privilégio de ser convidada para segurar o 3º episódio, que está marcado para breve, com o tema ‘Combinações Alimentares.

Aqui podem aceder aos artigos sobre as duas primeiras sessões:

Sensibilização para a Dieta Mediterrânica. da autoria de Ana Marreiro

Alimento Cru e vivo. Nutrição e digestão.Escrito por The Rice Experience.

Texto ‘The Rice Experience’; Imagem ‘Vale da Lama’.

Written by thericeexperience

Junho 8, 2016 at 2:33 pm