THE RICE EXPERIENCE

let food be the medicine

Archive for the ‘Personalidades’ Category

Conselhos Sábios De George Ohsawa

leave a comment »

untitledNunca vi um doente meu sofrer por falta de comida. Eles comem para satisfazer o seu apetite e, por prazer, comem tudo o que seja tentador e tudo o que vêem. Comem sempre estes alimentos em grandes quantidades, produzindo doenças de vários tipos. Para mim, todas as doenças são provocadas por excessos na dieta. Se ingerires boas proporções de comida, nunca podes ficar doente por comer demais. A quantidade muda a qualidade. Os humanos não conhecem a lei da absoluta necessidade. Bebem e comem o que lhes apetece para satisfazer prazeres sensoriais. Um bom apetite alheado a uma boa dose de discernimento é essencial para a vida e significa felicidade, saúde e liberdade. O apetite é como o óleo para um motor, sem óleo o motor não trabalha assim como, não trabalha com óleo a mais.

A nossa capacidade de julgamento mais primitiva, aprisiona-nos num ciclo de satisfação das nossas necessidades sensoriais, sentimentais, intelectuais, sociais e ideológicas, enquanto a nossa capacidade de julgamento suprema nos permite uma melhor compreensão da ordem natural, capacitando-nos de um poder de discernimento em sintonia com o compasso do universo.

Eu admiro com todo o coração um bom apetite mas sem ser um apetite voraz próximo de um glutão. Não te aconselho a ser como tal. Mantém o teu apetite controlado, mesmo parecendo difícil ou mesmo impossível. Eu sei que esta recomendação moral não é bem vista pela sociedade. Se quiseres tornar este apetite eterno, mastiga cada garfada, pelo menos trinta vezes. Ao mastigares a comida de uma forma completa, automaticamente diminuis o excesso de comida, activas o funcionamento do maxilar e salivas.

Baseado num texto do livro “Philosophy of Oriental Medicine” de George Ohsawa

Written by thericeexperience

Dezembro 5, 2013 at 11:36 am

Publicado em Personalidades

Naboru Muramoto, Ulcera Gástrica – Caso De Estudo

leave a comment »

kuzu-drawingNo Japão, uma senhora de 39 anos com uma Ulcera Gástrica, veio ter comigo após ter visitado o hospital. Disseram-lhe que precisava de ser operada três dias depois. Relutante sobre o violento tratamento a senhora procurou a minha ajuda. Naquelas circunstâncias eu precisava de fazer alguma coisa rápida e eficaz, sorte a senhora estar disponível cheia de vontade de cooperar. Restringi a sua dieta e dei-lhe um chá de umeboshi-shoyu-gengibre-banchá. A umeboshi estimula a produção de saliva e a saliva é bastante alcalina. Ajuda a neutralizar o excesso de acidez estomacal que é a causa do aparecimento da Ulcera. Receitei também chá de 3 anos três vezes ao dia e arroz integral temperado com umeboshi uma hora depois do chá. Este prato é de fácil digestão e alcaliniza.
O tratamento foi imediatamente eficaz. No dia seguinte a senhora já se sentia melhor. Cancelou a operação e rapidamente curou a Ulcera.

Written by thericeexperience

Setembro 19, 2013 at 5:52 pm

Publicado em Doenças, Personalidades

Herman Aihara E O Poder De Cura

leave a comment »

herman

Caros leitores, gostaríamos de partilhar a razão da nossa ausência forçada. A fim de melhorar a exposição do blogue, trabalhámos com o Sapo a fim de migrar todos os conteúdos para outro domínio. Esse processo, ainda a decorrer, atrasou a publicação dos nossos posts. Ainda sem nada definido, asseguramos a continuação da exposição de assuntos que achamos relevantes.

Desta vez, escolhemos uma entrevista a uma pessoa que nos marcou bastante, pelo seu conhecimento, experiencia de vida e sabedoria. Para nós uma fonte de inspiração.

Pergunta: Pode falar um pouco sobre o poder de cura? Como pode ser activado?

Herman: Comendo arroz integral. Comer sempre cereais. Essa é a fonte do poder de cura.

Pergunta: E sobre o poder de cura psicológico?

Herman: O poder de cura psicológico é desenvolvido através da apreciação. A mente possui o maior poder de cura porque está conectado com o infinito. A mente torna-se o infinito. As preocupações ou sentimentos similares distanciam-nos do infinito. A mente é o infinito, mas os sentimentos pertencem ao corpo físico. A mente não pertence ao corpo.

Os distúrbios emocionais desequilibram a secreção das hormonas, que por sua vez controlam os órgãos. Se te sentes desequilibrado emocionalmente, então o funcionamento dos órgãos é prejudicado. Todos os órgãos estão sobre o comando das hormonas. As hormonas dependem muito do estado emocional. Mas se tiveres conectado com o infinito, paz de espírito, apreciação, fé, amor, então consegues controlar as emoções.

O maior desafio é controlar as emoções. Senão controlares as emoções, não controlas a paz de espírito. Ou a tua mente conecta-se com o infinito, ou tens de comer arroz integral todos os dias. É o que chamo de cura da psique. O poder de cura espiritual é imediato. Tu dizes, “Eu cometi um erro.” Tu tens comido carne e açúcar, mas um dia podes parar. Essa é a função da mente. “o açúcar não é bom para mim.” Quando compreendes, podes parar.

As emoções atraem o doce. Continuas a comer gelados. Continuas a comer junk food , coca-cola. Mas quando a tua mente reflecte claridade, chegas ao infinito da mente e consegues parar. Até parar de fumar, mas tens de perceber claramente. Essa é a função da mente. Depois consegues parar com os teus maus hábitos.

Pergunta: E sobre as doenças dos nossos tempos? As pessoas que vivem no futuro, ou que tendem a viver no passado? Como é que se curam as doenças do tempo? Já alguma vez experienciaste isto com os teus clientes?

Herman: A cura tem dois lados: A cura física e a cura psíquica. A cura psíquica é instantânea. Não leva tempo. A cura física leva tempo porque é feita de matéria. Se estás a construir uma casa e alguma parte do edifico tem erros de estrutura, tens de substituir a parte que está errada. A cura psíquica é como o conceito/desenho da casa. Se alguma coisa está errada, tem de se mudar o conceito. Esta é a função da cura da mente, é mais abstracta.

Pergunta: Quando acontece é instantânea, mas leva a uma grande preparação?

Herman: Isso mesmo. Tens de pensar nela durante muitos anos. Depois acontece instantaneamente. Mas quando a realizares, parece que aconteceu num segundo. Quando a cura acontecer, a tua vida muda num segundo. A agonia desaparece.

Written by thericeexperience

Abril 11, 2013 at 4:45 pm

Publicado em Personalidades

A Sabedoria De Hipócrates – Nós Somos O Que Comemos?

leave a comment »

O trabalho desenvolvido por Hipócrates ocupa um lugar de destaque na medicina, assim como a Bíblia na literatura e ética dos católicos. O mesmo hábito universal em parafrasear a Bíblia, acontece com os ensinamentos de Hipócrates, conferindo um carácter de autoridade e credibilidade inquestionáveis. Curioso o facto de que a maior parte dos indivíduos que o referenciam, nunca leram uma de suas obras.
Para os amantes da Filosofia, Hipócrates representa a racionalização de conceitos do conhecimento objectivo, através da libertação da ciência em geral, e da medicina em particular, de misticismo e influências demoníacas.
Para o estudante de saúde pública, representa exemplos clássicos das relações entre ambientes físicos e sociais e a sua prevalência e severidade, na sua relação com várias doenças.
Para o médico, oferece a descrição objectiva dos sintomas, métodos de diagnóstico, orientações em como lidar com o paciente, etc.
Durante 25 séculos, Hipócrates tem personificado no ocidente, a racionalização dos filósofos, a atitude objectiva dos cientistas, a abordagem prática de Asclepius (Deus Grego da medicina) e as tradições humanas de Hygeia (Deusa Grega da saúde).
Encontra-se implícito nos seus ensinamentos, que tanto a saúde como a doença estão debaixo do controle de leis universais que reflectem a influência do ambiente e da nutrição nos estilos de vida das civilizações. A saúde depende de um estado de equilíbrio de vários factores que governam as funções do nosso corpo e mente, este equilíbrio é atingido quando o homem aprende a viver em harmonia com o ambiente externo e interno.
Hipócrates defendia que, um indivíduo bem adaptado ao seu ambiente, dificilmente ficava doente, só em casos de acidente ou epidemia. Em épocas de epidemia, aconselhava os seus pacientes a seguirem o seu estilo de vida normal, de forma a não provocar grandes distúrbios fisiológicos e psíquicos.
Para Hipócrates, o médico devia conhecer os ciclos da natureza, assim como os hábitos do seu paciente, em relação à alimentação, bebida, ocupação, e não devia nunca esquecer que um distúrbio de um órgão, corresponde ao distúrbio de todo o corpo, e “…que mesmo para curar um olho, devemos curar primeiro a cabeça e o próprio corpo.”
Os seus procedimentos terapêuticos, tornaram-no num curador de grande e inquestionável reputação, a julgar pelas palavras escritas no seu túmulo: “Aqui descansa Hipócrates, que venceu inúmeras vitórias sobre a doença, com as armas de Hygeia.”

Baseado no livro de René Dúbios, “Mirage of health”

Written by thericeexperience

Novembro 27, 2012 at 11:04 am

Publicado em Personalidades

Conselhos Nutricionais do General Julius B. Richmond

leave a comment »

Em 1979 o pediatra, cirurgião, General, Julius B. Richmond, publicou um documento, intitulado Healthy People: The Surgeon General’s Report on Health Promotion and Disease Prevention. Neste documento, sugeriu que as doenças degenerativas podiam ser aliviadas e prevenidas através de uma dieta de cereais integrais, vegetais e fruta, reduzindo o consumo de carne, ovos, produtos lácteos, açúcar e outros produtos processados.

O relatório afirmava: “O exagerado consumo de colesterol e gorduras saturadas, provenientes da proteína animal, estão associados a problemas de coração e arteriosclerose”; “Estudos feitos em animais, provam que a redução de alimentos ricos em colesterol, revertem o processo da arteriosclerose”; “Estudos científicos feitos em países onde as dietas são fracas em gorduras saturadas e colesterol, demonstraram baixa incidência de ataques de coração e baixa taxa de colesterol; e que os americanos que seguem uma dieta vegetariana têm menos ataques de coração do que o resto da população.

O relatório concluiu que era impossível definir as necessidades nutritivas standard para cada individuo, devido ás diferentes condições de saúde de cada pessoa, mas que no geral cada Americano tinha a possibilidade de ter uma vida mais saudável, se consumisse: as calorias necessárias á sua constituição; menos sal; menos açúcar; mais hidratos de carbono complexos, como os cereais integrais; mais peixe, galinha, legumes; menos carnes vermelhas.

O General avisou sobre o perigo da comida processada. “A rede Americana de alimentos mudou tanto, que metade dos alimentos que consumimos são processados, em vez de alimentos frescos provenientes da agricultura….Precisamos de nos manter alerta sobre a qualidade nutricional da comida processada.”

 Baseado no livro “Let Food Be Thy Medicine” de Alex Jack

Written by thericeexperience

Junho 16, 2012 at 10:04 am

Publicado em Personalidades

Christoph Wilhelm Hufeland Receitava Alimentos Naturais

leave a comment »

Filosofo, professor de medicina e médico que viveu no séc XVIII. Tratou de personalidades como Johann Wolfgang von Goethe. Recomendava uma dieta à base de cereais e vegetais, com boa mastigação. Conhecedor em pleno dos riscos para a saúde da carne e açúcar, defensor da amamentação de crianças com leite materno, exercício físico e cura das doenças pelo próprio doente.

Escreveu no seu livro Macrobiotics, or the Art of Prolonging Life, “Quanto mais o Homem respeitar as obedientes leis da natureza, mais tempo vive; quanto mais se afastar do cumprimento das leis da natureza, mais curta a sua existência.”

“O poder curativo da natureza, deve, acima de tudo, ser respeitado e promovido, porque é o único principio em que nos podemos apoiar para tratar eficazmente as doenças que nos afligem. Pode ser conseguido através da não acomodação do nosso corpo, face a tratamentos externos. Nesses casos, a natureza vai ser utilizada mas dependendo de ajuda externa, que com o tempo, acaba por perder o seu poder de assistência eficaz.”

No que respeita a dietas ele concluiu que “a comida dos ricos e com mais nutrientes, através de uma alimentação excessiva de carne, não prolonga a vida. As pessoas que atingiram idades avançadas, sempre foram regradas na sua alimentação, baseada em vegetais e pouca ou nenhuma carne.”

No que respeita ao estilo de vida “o grau civilizacional, em relação ao luxo, requinte e desvios da natureza, que tanto gostamos de enaltecer, ao vivê-lo de uma forma tão intensa, tende a encurtar na mesma proporção a nossa existência.”

Texto ‘The Rice Experience’, baseado no livro ‘Macrobiotics or the Art of Prolonging Life’, de C.W. Hufeland, M.D.,

Written by thericeexperience

Outubro 18, 2010 at 10:05 pm

Os Ensinamentos de George Ohsawa

leave a comment »

A Macrobiótica não é uma medicina empírica desenvolvida por curiosos, nem tão pouco uma ciência mística que cura os sintomas das doenças. É sim, uma concepção dialéctica de como funciona o universo, que chamamos de Princípio Único, que nos ensina o caminho para a liberdade total e completa através da saúde.

A Macrobiótica é a arte de comer e beber com o objectivo de curar qualquer doença, seja ela passageira, crónica ou incurável. É o caminho para o desenvolvimento da inteligência e julgamento, com o objectivo de sentir que nascemos no centro da felicidade eterna.

Se uma pessoa não está feliz, significa que violou – consciente ou inconscientemente – as leis da natureza e a ordem do universo. Podemos compreender a doença e a infelicidade como os nossos guias – alarmes, sinais, e avisos – enviados para nos mostrar os nossos erros e o caminho de volta ao equilíbrio desequilibrado.

A medicina procura fórmulas e comprimidos que têm um efeito directo sobre os sintomas. De todas as terapias, acaba por ser a mais arcaica, mais utilizada, mais destrutiva de todas. Se suprimimos um alarme, um sinal de erro, ignorância, egoísmo, maus hábitos, como será possível termos paz, felicidade e vontade de viver?

Confrontado com a doença e a infelicidade, a consciência do homem moderno é hostil e sofredora. Quer destruir a doença com violência. Ao contrário de um macrobiótico, que a considera sua responsabilidade, perguntando o que fez para ficar doente. A causa da doença precisa de ser encontrada no comportamento da pessoa doente. Toda a felicidade e infelicidade resulta das nossas acções, que são guiadas pela nossa compreensão e julgamento. Esta é a razão pela qual, não devemos nunca atacar os sintomas. A origem da doença é a raiz do problema.

A Macrobiótica é uma filosofia educativa mais do que uma medicina curativa. Ensina-nos a aceitar a responsabilidade das nossas acções – a escolha da nossa comida e as possíveis consequências, resultado das nossas escolhas. A doença é uma prova da violação da ordem do universo. Cada indivíduo é responsável e criador da sua doença, simultaneamente, a sua vítima.

“Macro” significa grande, “biótica” significa vida. É a visão da vida, na verdadeira acepção da palavra.

A Macrobiótica é dirigida aos descontentes. Os que se sentem oprimidos pela vida, contra aqueles que lucram e exploram os mais fracos, económica, física e intelectualmente. É também dirigida aos verdadeiros génios que não se assumem como tal. Existem muitas pessoas que não cabem nestas categorias, porque são demasiado ricos, poderosos, inteligentes ou espirituais, os que naturalmente, são escravos dos bens materiais ou espirituais.

Texto  baseado no livro ‘7 Diet’, de Françoise Riviere 

Written by thericeexperience

Junho 1, 2010 at 10:54 am