THE RICE EXPERIENCE

let food be the medicine

Archive for the ‘Alimentos A Evitar’ Category

Reumatismo, Artrites, Artroses

leave a comment »

Associamos o nome Reumatismo a dois tipos de manifestações agudas: as artrites e as artroses. Acredita-se que têm origem num vírus, mas cada vez mais se tem vindo a provar que as toxinas, resultantes da transformação de proteínas, que não são eliminadas pelos agentes neutralizadores que estão presentes na flora intestinal, encontram uma boa forma de proliferar nestas zonas que se encontram mais fracas.

 O processo digestivo pode algumas vezes criar fermentações secundárias, necessárias na transformação dos elementos nutritivos. Estas fermentações secundárias acontecem quando a comida não é de boa qualidade, ou quando o fígado se sente incapaz de fazer o seu trabalho. Destas obstruções ao processo digestivo resultam substâncias venenosas, que surgem mesmo que se coma saudável, por exemplo, com o fato de se comer demais.

 Para resolver este problema, a primeira coisa a fazer é não consumir qualquer tipo de alimentos que sejam ácidos. Carne, álcool, açúcar e alcalóides (café, cocaína), batatas, tomate, beringela, etc… Se a alimentação for baseada neste tipo de alimentos nocivos, é uma questão de tempo até acontecerem problemas de saúde graves. Depois de inflamadas as articulações e as zonas vizinhas (ossos, cartilagens e músculos) os cristais de urato de sódio, acido úrico e acido óxálico vão atacar os rins causando uma nefrite (inflamação dos rins) provocando lesões ou pedras nos rins.

 A acumulação destas substâncias tóxicas, prejudicam o processo normal de eliminação do rim, causando danos nos seus filtros, originando albuminúria.

Traduzido do livro “Our earth our cure” de Raymond Dextreit

 

Anúncios

Written by thericeexperience

Junho 21, 2017 at 3:53 pm

As Causas Físicas E Psicológicas Das Alergias

leave a comment »

imagesNas últimas décadas, mais e mais pessoas têm sido diagnosticadas como hipersensíveis a um número inimaginável de substâncias. As reacções alérgicas ultrapassam a alimentação, pelo de animais, pó, água, sol, etc. De um ponto de vista psicológico, estas manifestações físicas que têm tendência a se agravar, podem estar relacionadas com sentimentos de isolamento, separação, família, mesmo arrogância – incapacidade de aceitar o mundo como ele é. Fisicamente, este factores representação um fraco sistema imunitário e um mau funcionamento geral do fígado, incapaz de identificar e digerir os antigenes. (De acordo com a medicina ancestral chinesa, a arrogância, a raiva, estão ligados ao mau funcionamento do fígado, considerado o centro das emoções.)

Talvez o melhor remédio para as alergias, seja, trabalhar de forma a promover mais integração e menos isolamento. Aliado a uma dieta simples, de elevada qualidade, o fígado terá mais hipóteses de se regenerar, de forma a recuperar a capacidade de lidar com toxinas. Para acelerar o processo, quaisquer alimentos ricos em clorofila: spirulina; nabiças, agrião, couves, salsa, alho aromático, trifólio, artemisia, devem ser consumidos. Os alimentos ricos em clorofila são muito importantes, porque fortalecem o sistema imunitário, tornando o nosso templo (corpo) capaz de combater qualquer infecção.

Traduzido do livro “Healing with Whole Foods” de Paul Pitchford

Written by thericeexperience

Novembro 18, 2016 at 6:19 pm

O Açucar Provoca Efeitos Devastadores No Organismo

leave a comment »

Somos ou não responsáveis pelos nossos actos? Será a alimentação um factor importante? O livro de Barbara Reed Stitt “Food & Behaviour” relata a sua experiencia, enquanto responsável pela supervisão de criminosos, no tribunal municipal de Ohio durante 20 anos. Estudou cuidadosamente a relação entre a dieta e o comportamento, levando-nos a crer que muito podia ser feito nos estabelecimentos prisionais, ao nível da nutrição.

No começo do século, o consumo médio de açúcar branco por pessoa/ano era de 2 kilos, em contraste com os 60 kilos de consumo médio anual, que se verificam hoje em dia.

Custa-me a acreditar neste dado estatístico. A pessoas não imaginam como podem comer 50/100/150 kilos de açúcar ano. É frequente perguntar, “Como é possível, se consumo apenas 4 colheres de chá por dia?”. Mas a verdade é que, apenas uma pequena percentagem vem do açucareiro. 80% de comidas processadas. Nas últimas décadas, a industria alimentar tem aumentado a quantidade de açúcar utilizada, promovendo um consumo excessivo e indiscriminado. Nos cereais do pequeno-almoço, 60 % do seu peso é açúcar; ½ L de Coca-Cola tem 12 colheres de chá de açúcar; 30% do ketchup é açúcar; 30% do Fast Food é açúcar. Sem contar com os medicamentos que chegam a conter 70% de açúcar. Desta forma não é difícil perceber porque consumimos tanto açúcar.

Devido ao consumo excessivo de açúcar, os níveis de glicose sofrem desequilíbrios extremos, tanto por excesso como por ausência. O pâncreas liberta insulina em excesso para baixar esses níveis. Estas diferenças assustadoras de glicose resultam em hipo glicemia. Não admira que 50% dos americanos sofram desta doença.

Baixos níveis de glicose provocam a desnutrição das células, levando a um sentimento de fraqueza geral. Mas as células do cérebro encontram-se especialmente desnutridas. Assim que os níveis de açucares baixam, o cerebelo – área do cérebro responsável pelo pensamento; aprendizagem; e pelo comportamento social – cessa gradualmente, desviando a energia que resta para o tronco cerebral, que controla os nossos comportamentos mais primitivos como: vontade de comer; desejo sexual; instintos de agressividade/defesa, funções básicas do corpo.

A dificuldade do cérebro em se nutrir, em estados de hipo glicemia, pode levar a comportamentos estranhos do indivíduo como: tremores; irritabilidade; confusão; neurose; psicose; esquizofrenia; depressão; ataques de pânico, etc. Sintomas mais do que presentes nas sociedades modernas.

A relação existente entre a hipoglicemia e doenças mentais, ajuda a perceber a relação existente entre o crime e a dieta. Muitos dos oficiais que supervisionam criminosos, relatam historias que provam esta inter-relação, visto que os actos praticados, normalmente estão longe do normal comportamento humano, que revelam falta de percepção da realidade.

Os problemas do foro psicológico têm uma relação directa com o consumo de açúcar. A julgar pelo seu consumo, não admira que as doenças mentais afectem mais de metade dos portugueses. Quanto maior o consumo de açúcar, maior o consumo de ansiolíticos e derivados. Quem ganha com este estado de apatia? A Industria Farmacêutica.

Baseado no livro de Barbara Reed Stitt “Food and Behaviour”

Written by thericeexperience

Abril 20, 2011 at 12:59 pm

As Solanáceas Dispensáveis(Batata;Beringela;Tomate;Pimento)

leave a comment »

Henry Miller reconhecera intuitivamente o despreparo dos líderes actuais. Com a pena cortante e a tinta corrosiva que lhe eram características, escreveu: “No nosso mundo, os cegos guiam os cegos”. Exemplo perfeito deste despreparo, são os planos da  Organização das Nações Unidas (ONU) para 2008.

Na última quinzena de Outubro, a ONU elegeu 2008 como o Ano Internacional da Batata. Já podemos prever incentivos para plantar, divulgar e consumir o versátil vegetal. Podemos inclusive, contar com um site “recheado de dados sobre a batata”. Duvido muito, porém, que em tal endereço electrónico se encontrem informações, breves que sejam, como as que passamos a fornecer.

A batata inglesa, o tomate, a beringela e o pimentão são vegetais pertencentes à família das solanáceas, categoria que inclui plantas tóxicas como o tabaco e a beladona. Sabe-se que a solanina enfraquece o sangue, dilata  o aparelho digestivo e provoca distúrbios no estômago e intestinos, levando inclusive ao surgimento de hemorróidas. Além disso, a batata contém ainda altos índices de potássio, o que compromete o seu uso como alimento regular.

Por serem muito expansivas (yin), as solanáceas, quando consumidas por aqueles que ainda fazem uso de carnes (yang), podem trazer uma sensação momentânea de bem-estar. Com o tempo, porém, seus efeitos prejudiciais manifestar-se-ão inevitavelmente.

Com essa iniciativa, a ONU concorre para aumentar sensivelmente o infortúnio de um sem-número de pessoas, o que nos permite fazer um rápido comentário: “lideranças autênticas são aquelas que libertam os homens de sua ignorância, proporcionando-lhes maior independência e bem-estar; já as falsas lideranças nos condenam à triste condição de perdedores, seja com relação às doenças, seja com relação à ignorância, seja com relação à dependência”. A que espécie de liderança pertenceriam os dirigentes da ONU?

http://www.restaurantemetamorfose.com.br

Written by thericeexperience

Março 21, 2011 at 11:08 am

Publicado em Alimentos A Evitar

O Café Provoca Problemas Renais

with 2 comments

A Turquia foi o primeiro país a adoptar o café como uma bebida, muitas vezes misturada com especiarias como o dente de alho, a canela, o cardamomo e o anis. Hoje em dia é produzido e apreciado em todo o mundo e é das poucas culturas que os pequenos agricultores dos países do terceiro mundo conseguem produzir, lucrar e exportar.

 O que a maior parte dos consumidores não sabe é que após o consumo da pequena chávena inocente, os níveis de açúcar sofrem alterações violentas, em tudo idênticas a uma viagem de montanha russa. Através destes altos e baixos, entramos num ciclo que se repete diariamente vezes sem conta, com efeitos muito variáveis, entre picos de energia, excitação compulsiva e exaustão. Os órgãos mais afectados são sem dúvida as glândulas adrenais. Estão situadas por cima dos rins e são responsáveis pela produção de hormonas como o estrogénio, esteróides, cortisol, cortisona, e substâncias químicas como a adrenalina e a dopamina. A exaustão adrenal crónica é considerada epidémica, sofrendo deste problema a maior parte da população.

 Ao estimular constantemente a glândula adrenal a produzir mais substâncias químicas como a adrenalina, provocamos desequilíbrios no nosso organismo, nos níveis de glicose no sangue. É sempre bom lembrar que a cafeína não nos dá energia, só estimulação química.

De acordo com a medicina chinesa, este problema é detectado através da existência de olheiras ou papos nos olhos. Faz sentido visto que as olheiras estão ligadas a noites mal dormidas, sintoma muito próprio das pessoas que têm problemas de rins e glândulas adrenais.

 Ralph T. Golan escreveu no seu livro Herbal Defense, “A cafeína força as glândulas a secretar quando já não existe possibilidade para tal, forçando-as a procurar mais e mais fundo, provocando cada vez maior cansaço físico. Depois de alguns anos, precisamos de cada vez mais café para obter os mesmos resultados. Muitas pessoas chegam a consumir seis ou mais chávenas de café por dia para se manterem acordadas. A este estado chama-se esgotamento severo das glândulas adrenais.”

 A presença da cafeína nas nossas vidas é indiscutível. Cerca de 80% dos adultos nos EUA consomem-na todos os dias, de variadíssimas formas. É essencialmente uma droga, presente em: barras de chocolate, chocolate quente, refrigerantes no geral, gelados, chá, cacau, bolachas, em milhares de medicamentos que podem ser adquiridos sem receita médica, etc.

 Stephen Braun defende que cafeína não é um estimulante directo, “trabalha indirectamente interferindo com um químico cerebral que serve de travão. Como um carro que tem um travão estragado, o cérebro acelera porque não consegue travar, por se encontrar dopado.”

Quando a cafeína é consumida, o sistema nervoso é estimulado artificialmente aumentando a capacidade de foco mental, produtividade e performance física.

A adrenalina é libertada no início do processo. Em resposta, o fígado começa a injectar glicose armazenada, demorando cerca de 5 horas a metabolizar metade de um café. Durante o processo, e em resposta, a insulina é libertada para baixar os níveis de glicose. O café é absorvido rapidamente pelo intestino, a cafeína atravessa as membranas celulares e é rapidamente dissolvido na saliva, sémen, leite materno, liquido amniótico.

 Provoca desequilíbrios alimentares, dificultando a manutenção de uma dieta saudável. Devido ao seu sabor forte, leva a que os consumidores procurem o contra balanço em comidas açucaradas ou industrializadas, iniciando um ciclo que a longo prazo leva á exaustão do nosso organismo.

 O descafeinado, por outro lado, está ligado ao aumento do colesterol, e os solventes utilizados no seu processamento, como o Diclorometano (utilizado também para na produção de decapantes e desengordurantes), Acetato de Etila (utilizado também para a produção de perfumes com aroma de fruta), mesmo aprovados pelo FDA são considerados um risco para os consumidores.

Por detrás de todos os sintomas negativos e positivos que provoca o consumo de café, a maior parte dos estudos científicos são unânimes ao concluir que é fisicamente aditivo devido à estimulação do sistema nervoso provocando alterações bruscas de humor e estado de stress crónico. O café manipula os mesmo canais neuro-químicos que as anfetaminas, cocaína e heroína.

 

Written by thericeexperience

Janeiro 9, 2011 at 8:06 pm

Publicado em Alimentos A Evitar