THE RICE EXPERIENCE

let food be the medicine

As Causas Físicas E Psicológicas Das Alergias

leave a comment »

imagesNas últimas décadas, mais e mais pessoas têm sido diagnosticadas como hipersensíveis a um número inimaginável de substâncias. As reacções alérgicas ultrapassam a alimentação, pelo de animais, pó, água, sol, etc. De um ponto de vista psicológico, estas manifestações físicas que têm tendência a se agravar, podem estar relacionadas com sentimentos de isolamento, separação, família, mesmo arrogância – incapacidade de aceitar o mundo como ele é. Fisicamente, este factores representação um fraco sistema imunitário e um mau funcionamento geral do fígado, incapaz de identificar e digerir os antigenes. (De acordo com a medicina ancestral chinesa, a arrogância, a raiva, estão ligados ao mau funcionamento do fígado, considerado o centro das emoções.)

Talvez o melhor remédio para as alergias, seja, trabalhar de forma a promover mais integração e menos isolamento. Aliado a uma dieta simples, de elevada qualidade, o fígado terá mais hipóteses de se regenerar, de forma a recuperar a capacidade de lidar com toxinas. Para acelerar o processo, quaisquer alimentos ricos em clorofila: spirulina; nabiças, agrião, couves, salsa, alho aromático, trifólio, artemisia, devem ser consumidos. Os alimentos ricos em clorofila são muito importantes, porque fortalecem o sistema imunitário, tornando o nosso templo (corpo) capaz de combater qualquer infecção.

Traduzido do livro “Healing with Whole Foods” de Paul Pitchford

Anúncios

Written by thericeexperience

Novembro 18, 2016 at 6:19 pm

De Bebé A Adulto – A Importância Da Alimentação

leave a comment »

Alex-Grey-BirthNo útero, o feto recebe energia para sobreviver através do sangue da mãe e outros nutrientes através da placenta. Longe da força original do esperma e do óvulo, a alimentação da mãe durante a gravidez tem uma influência muito grande na futura saúde e na constituição do bebé. Depois do nascimento, o bebe é alimentado pelo colostro e leite materno, que representa a energia condensada do reino animal. Depois de surgirem os dentes a criança começa a alimentar-se de alimentos vegetais de forma a garantir um bom crescimento e desenvolvimento.

Á medida que vamos crescendo e amadurecendo, a principal fonte de energia que nos sustenta, é a fornecida pelos alimentos que comemos. A comida transmuta-se em mente, corpo e espírito. Através de uma boa selecção e preparação de alimentos, captamos a energia condensada do céu e da terra, de forma a criarmos o nosso dia-a-dia cheio de saúde e felicidade. A qualidade e funcionamento dos nossos órgãos e tecidos dependem largamente da nossa dieta. Claro que continuamos a receber energia da natureza e do cosmos, mas esta energia serve para activar e carregar os órgãos e as suas funções, células e tecidos. A comida transforma-se directamente em sangue, linfa, e outros fluidos corporais que nutre o nosso sistema e funções. Mantém a energia dos canais abertos de forma a receber a força dos ciclos celestiais e ciclos terrestres e os ritmos á nossa volta.

Além da saúde física e vitalidade, a alimentação cria a mente e espírito, determinando a qualidade da nossa consciência. Ondas vindas do Universo são canalizadas através do cérebro e sistema nervoso, sob uma forma de espiral. Cada uma das triliões de células são também um receptor atraindo vibrações da atmosfera e do nosso ambiente circundante. A nossa intelectualidade e espiritualidade são determinados pelo grau de energia que as nossas células têm capacidade de receber e armazenar. Ondas de baixa frequência e de maior comprimento de onda criam a actividade física do corpo. Ondas de alta frequência com comprimentos de ondas mais pequenos, criam os nossos pensamentos, imagens e sonhos.

Traduzido do livro “The Macrobiotic Path to total health” de Michio Kushi.

Written by thericeexperience

Agosto 19, 2016 at 7:18 pm

Consciência Alimentar: Combinações alimentares

leave a comment »

fa1-ep3-04.jpgO 3º episódio do Projecto Consciência Alimentar, na Quinta do Vale da Lama, abordou o tema ‘Combinações alimentares’ e trouxe como exemplo prático o plano de combinações alimentares de Paul Pitchford, que propõe refeições simples para aqueles que pretendem uma digestão plena e enzimática.

Na cozinha preparou-se uma refeição simples onde foram privilegiadas várias combinações com efeitos particulares na assimilação de nutrientes. À hora da refeição cada um compôs o seu prato para testemunhar os resultados na digestão e bem-estar.

Aqui encontram o capítulo dedicado a este tema, do livro ‘Healing with whole foods’ da autoria de Paul Pitchford.

Para leres mais sobre o 3º episódio, entra aqui.

Texto ‘The Rice Experience’; Imagens: Xana Piteira (Vale da Lama)

 

 

Written by thericeexperience

Julho 7, 2016 at 6:03 pm

CONSCIÊNCIA ALIMENTAR.

leave a comment »

20160525_132358

Um projecto cuja fase embrionária foi desenvolvida ainda durante o período em que no Lama Village se vivia a experiência e o sonho de crescer uma comunidade assente em éticas e práticas de base ecológica, comunitária e consciente.

Com a Dieta Mediterrânica como base de referência, este projecto faz agora parte do programa mensal daqueles que trabalham, colaboram e são voluntários nas diferentes esferas do Vale da Lama. Tal como escreve a Ana no primeiro artigo sobre o projecto, ‘Entre conversas e receitas surge da horta ao prato o Projecto Consciência Alimentar que promete tornar-se um acontecimento regular para a equipa do Vale da Lama.’

O projecto arrancou com um primeiro almoço focado na ‘Sensibilização para a Dieta Mediterrânica’, e focou o seu 2ºepisódio sobre o tema ‘Alimento Cru e vivo. Nutrição e digestão‘. Tive o privilégio de ser convidada para segurar o 3º episódio, que está marcado para breve, com o tema ‘Combinações Alimentares.

Aqui podem aceder aos artigos sobre as duas primeiras sessões:

Sensibilização para a Dieta Mediterrânica. da autoria de Ana Marreiro

Alimento Cru e vivo. Nutrição e digestão.Escrito por The Rice Experience.

Texto ‘The Rice Experience’; Imagem ‘Vale da Lama’.

Written by thericeexperience

Junho 8, 2016 at 2:33 pm

O que é a Alimentação Natural?

leave a comment »

IMG_6716

A Alimentação Natural é um dos principais factores que devemos ter em conta se procuramos uma vida equilibrada, ou seja, saudável, enérgica e feliz.

Aliada a noites bem dormidas (sono profundo e descansado, com um mínimo de 8h por noite, sem interrupções), exercício físico diário (adequado à nossa condição), rir e descomprimir, portanto, a uma vida social e familiar saudável e feliz, respirar e meditar, estar em contacto com a Natureza e evitar intoxicantes (drogas,  medicamentos, tabaco, álcool), a Alimentação Natural ocupa um papel importante na promoção e manutenção da nossa saúde e bem-estar.

Assenta sobre um conjunto de Éticas, como a escolha de Alimentos Locais, da Época e produzidos segundo métodos Biológicos ou Biodinâmicos e exclui os alimentos processados e industrializados, os alimentos produzidos segundo métodos intensivos e não integrados e todos os ingredientes não naturais. Tem em conta questões de saúde, sendo portanto uma ferramenta personalizada, aplicada de acordo com a condição e as necessidades de cada um.

Na Alimentação Natural é privilegiado o consumo de Alimentos frescos e integrais e de Alimentos Conservados segundo Métodos Tradicionais como a fermentação natural (aeróbia e anaeróbia), a desidratação ao sol, a Conserva em Sal, a Conserva em Vinagre, a Conserva em Açúcar (mel, fruta, etc), e outros. É dada  particular atenção aos alimentos lacto-fermentados não pasteurizados, que cumprem um importante papel na promoção da saúde e bom funcionamento do sistema digestivo.

Além de um forte aliado da Saúde integral, já que equilibra o organismo ao providenciar todos os nutrientes, vitaminas, aminoácidos essenciais, ácidos gordos, fitonutrientes e micro-organismos benéficos necessários, a Alimentação Natural também promove a Homeostasia. Ao privilegiar o consumo de alimentos locais, da época e biológicos, trás a energia própria da estação do ano e do local geográfico para o organismo, harmonizando-o e equilibrando-o com o meio ambiente próximo. Além disso, é Sustentável na medida em que estes alimentos implicam um menor consumo de energia na sua produção e distribuição.

Não se trata de um tipo de Dieta e não contempla restrições. Antes, distingue entre alimentos e não alimentos e tem como base a observação e integração da Natureza e das suas leis. Enquanto seres naturais, esta abordagem parece-nos a mais harmoniosa e sensata quando se trata de seleccionar o alimento que nos vai nutrir.

Texto e imagens: The Rice Experience

Written by thericeexperience

Maio 15, 2016 at 5:57 pm

Torna A Tua Saúde Sustentável

leave a comment »

Nos últimos anos, percebi porque é que o termo Macrobiótica significa longevidade. Uma verdadeira entrega à prática da Macrobiótica traz de retorno uma longevidade, que tem sido praticada por muitas pessoas por todo o mundo, de forma a promover saúde diária e bem-estar. O desafio de hoje é adaptar as práticas e princípios que foram ensinados pelos mestres do oriente, e utilizá-los em diferentes locais nas condições actuais.

Os alimentos locais são um bom ponto de partida. As cozinhas tradicionais são baseadas em alimentos locais. Existe um provérbio japonês que diz, ‘Shin Do Fu Ji’, e significa “o nosso organismo e a terra são um”. Para mantermos a nossa saúde sustentável, é importante mudarmos os alimentos que escolhemos para os que crescem localmente. Isto significa que a dieta vai estar em sintonia com o meio ambiente. O poder de nutrição e energia dos alimentos locais é incrível.

Além de comer localmente, é importante desmistificar as verdades e mitos do que significa a palavra saudável. Existem muita desinformação em relação à saúde. A questão do peso está no topo da lista. A alimentação natural é a chave para criar um peso saudável. Existem provas de que ser demasiado magro não é saudável e de que ninguém se devia restringir ao consumo de calorias. Uma dieta restritiva pode criar muitos problemas. Em vez disso, devíamo-nos focar apenas numa dieta saudável, assim como num estilo de vida saudável. Existem muitas verdades que estão a ser desencarceradas sobre o peso e a saúde. Muitas destas descobertas contradizem o estabelecido. Sugiro que visitem “Why BMI Is A Big Fat Scam” (link em baixo), para que se perceba como o índice de massa corporal está a ser usado para vender medicamentos.

A nutrição popular é outra área onde os mitos abundam. Muitas das dietas recomendadas hoje são pobres do ponto de vista nutricional. A Macrobiótica tradicional é sempre, do ponto vista nutricional, rica e abundante em nutrientes. Para otimizares a tua saúde, a melhor escolha, é sempre riqueza nutricional em vez de pobreza nutricional.

VISITE O LINK – BIG FAT SCAM

Traduzido de um texto de John Kozinski.

Written by thericeexperience

Março 23, 2016 at 11:20 pm

Publicado em Alimentação Natural

DENTES E GENGIVAS

leave a comment »

untitledA sabedoria do corpo determina quais as áreas do corpo propicias para receber os primeiros problemas de saúde, tornando as próximas manifestações mais profundas. Como as mandíbulas fazem parte do esqueleto, e os dentes precisam de tantos minerais como os ossos, problemas nos dentes e gengivas pode estar relacionado com a perda de cálcio.

De acordo com a minha experiencia, descobri que certos alimentos, parecem produzir efeitos nocivos nos dentes e no esqueleto mas mais a longo prazo. Por exemplo, alimentos ácidos como o vinagre, citrinos e tomates, quando comidos numa dieta baixa em gorduras, baixa em proteínas, pode danificar o esmalte dos dentes, podendo provocar dores. As dores de dentes parece afectarem primeiro os dentes que já têm cavidades ou cáries, mesmo que tenham sido tratados. No meu caso, quando bebi um sumo de laranja natural, todos os dias, durante um mês, um dos meus dentes sábios (o que tinha a maior cavidade), começou a doer-me abruptamente. O meu dentista não encontrou solução, a não ser arrancar o dente, procedimento no qual eu não estava preparada. Preferi tentar arranjar uma solução seguindo uma dieta “politicamente incorrecta” durante umas semanas: sem fruta, sem salada, sem vinagre, sem sumos, com bastante manteiga (de leite cru) e azeite (1ª pressão a frio) em tudo. Cheguei a exagerar no consumo de brie! Funcionou numa semana. Quando a dor desapareceu, cortei novamente nas gorduras, comendo fruta esporadicamente e saladas em quantidades modestas de molhos. Não tenho bem a certeza como funcionou, mas resultou. Eu simplesmente segui os meus instintos, no que respeita ao que senti que precisava naquela altura.

Traduzido de um texto de AnneMarie Colbin “Food and our bones”

Observação dos autores: Estas compensações feitas pela AnneMarie exigem um conhecimento muito profundo do tema alimentação. É necessário ter percorrido muitas experiencias nutricionais, para poder brincar com estes conceitos: Inyologia, acido/alcalino; hidratos/proteínas; omega3/omega6, etc. Não recomendamos de todo este tipo de experiencias, para quem tenha uma dieta sensorial e desregrada, baseada em alimentos processados. De qualquer forma, fica uma pequena dica do que tu mesmo podes fazer se começares a explorar o tema “food as medicine”.

Written by thericeexperience

Janeiro 7, 2016 at 5:30 pm